anseios
Acontece que eu tenho dois lados: o mais feroz, o que explode, o que grita, que aponta o dedo na cara. Aquele que não tolera a futilidade. Tem o lado manso, que aceita, que abaixa a cabeça, que chora à noite trancafiada no quarto. Também tem o lado que não suporta clichês tolos de romance, e o que deseja viver um deles. O que implora por alguém, e o que grita que é só, e não precisa de ninguém, a não ser de mim mesma.
O melhor remédio para os amedrontados, solitários e infelizes é sair, ir a um local em que possam ficar a sós, com o céu, a natureza e Deus. Só então você pode sentir que tudo é como deveria ser, e o que Deus deseja a felicidade das pessoas em meio à beleza e à simplicidade da natureza. Enquanto isso existir – e deve existir para sempre -, sei que haverá consolo para toda tristeza, em qualquer circunstância. Acredito firmemente que a natureza pode trazer conforto a todos que sofrem.”
Anne Frank
Espero que, caso você tenha alguém, que seja por amor. Passageiro ou não, de dois dias, três semanas, seis meses ou uma vida. Se você tem alguém te esperando de um dos lados da cama ou do outro lado da linha, que seja por amor. Não por qualquer outro motivo, por favor. Que não seja por comodismo, por medo de ser infeliz ou porque você não achou nada melhor até o momento. Que seja, apenas, e somente, por amor. Espero que você esteja onde você está por vontade, porque aí, agora, é o seu lugar preferido no mundo – mesmo que o mundo tenha tantos outros lugares. Esteja parado discutindo, andando de mãos dadas, correndo no mesmo ritmo de respiração, esteja em paz. Sim, em paz mesmo no meio de uma discussão no final do dia. Em paz consigo, com o seu coração, convicto de que era ali mesmo que você deveria estar só porque ele ou ela com raiva é uma das suas expressões humanas prediletas no universo. Se você acha que merece mais, não fique por menos. Só fique, eu repito, por amor. Caso contrário,vá embora. Junte as malas, o apego, o medo de ficar sozinho e dê adeus. O mundo ainda tá cheio de gente educada, alguém há de te ajudar com as malas, acredite. E com o apego. E com o medo. E com todo o resto.”
Teca Florencio

"Sonhe com o que você quiser. Vá para onde você queira ir.

Seja o que você quer ser, porque você possui apenas uma vida
e nela só temos uma chance de fazer aquilo que queremos.
Tenha felicidade bastante para fazê-la doce. Dificuldades
para fazê-la forte. Tristeza para fazê-la humana. E
esperança suficiente para fazê-la feliz.”

Clarice Lispector

Ah, moço, tu não sabes a felicidade que me trazes, nem os devaneios que me causa… Se soubesses que ainda lembro-me do teu primeiro olhar, do teu primeiro ‘eu te amo’, e que sorrio involuntariamente só de pensar em ti. Tu não imaginas o quanto só ouvir a voz tua colore meu dia. Não sabes o impacto que teu sorriso tem sobre mim. Eu gosto de tudo que há em ti: seus olhos, lábios, dentes, pulmões, seus abraços, ah, os seus abraços! É meu novo abrigo, meu mais perfeito refúgio. Anjo: gosto de definir-te com essa palavra; ser que protege, que cuida, acalma, salva. Já fizestes tanto por mim e nem sabes. Não sabes que me arrancastes aquela solidão bizarra, nem que contigo eu sou menos amarga. Eu reclamo menos da dor que é a vida. Não sabes que nunca disse a nenhum rapaz que o amava, e és o primeiro deles em que confio. Não sabes que nada é legal sem te ter por perto.”

Sobre as coisas que tu não sabes.

Controvérsias

Não gosto de quem se faz de santa, de prestativa, de solícita, de legal. Não gosto de quem fala miando, se finge de sonsa, faz caras e bocas. Não gosto de gente artificial, que tem duas caras, dois jeitos, dois comportamentos. Sou a favor da transparência, de gente de verdade, sem retoques, sem artifícios. Tenho pavor de mulher fingida. Que se finge de morta, mas no fundo rebola o tempo todo, faz cara de atriz pornô pra ser notada e depois diz que ah-é-meu-jeito-sou-assim. Tenho pavor de mulher que se insinua o tempo inteiro e depois diz não-entendo-porque-todo-mundo-olha-pra-mim. Pavor.”
Clarissa Corrêa  
Ah, moço, tu não sabes a felicidade que me trazes, nem os devaneios que me causa… Se soubesses que ainda lembro-me do teu primeiro olhar, do teu primeiro ‘eu te amo’, e que sorrio involuntariamente só de pensar em ti. Tu não imaginas o quanto só ouvir a voz tua colore meu dia. Não sabes o impacto que teu sorriso tem sobre mim. Eu gosto de tudo que há em ti: seus olhos, lábios, dentes, pulmões, seus abraços, ah, os seus abraços! É meu novo abrigo, meu mais perfeito refúgio. Anjo: gosto de definir-te com essa palavra; ser que protege, que cuida, acalma, salva. Já fizestes tanto por mim e nem sabes. Não sabes que me arrancastes aquela solidão bizarra, nem que contigo eu sou menos amarga. Eu reclamo menos da dor que é a vida. Não sabes que nunca disse a nenhum rapaz que o amava, e és o primeiro deles em que confio. Não sabes que nada é legal sem te ter por perto.”

Sobre as coisas que tu não sabes.

Controvérsias

Sou egoísta:
faço por mim mesmo
para salvar o que restou de
mim.”
Bukowski
Se você vai tentar, vá até o fim caso contrário, nem comece.”
Charles Bukowski
E se um dia ou uma noite um demônio se esgueirasse em tua mais solitária solidão e te dissesse: “Esta vida, assim como tu a vives agora e como a viveste, terás de vivê-la ainda uma vez e ainda inúmeras vezes; e não haverá nela nada de novo, cada dor e cada prazer e cada pensamento e suspiro e tudo o que há de indizivelmente pequeno e de grande em tua vida há de retornar, e tudo na mesma ordem e seqüência - e do mesmo modo esta aranha e este luar entre as árvores, e do mesmo modo este instante e eu próprio. A eterna ampulheta da existência será sempre virada outra vez - e tu com ela, poeirinha da poeira!” Não te lançarias ao chão e rangerias os dentes e amaldiçoarias o demônio que te falasse assim? Ou viveste alguma vez um instante descomunal, em que responderias: “Tu és um deus, e nunca ouvi nada mais divino!” Se esse pensamento adquirisse poder sobre ti, assim como tu és, ele te transformaria e talvez te triturasse; a pergunta, diante de tudo e de cada coisa: “Quero isto ainda uma vez e ainda inúmeras vezes?” Pesaria como o mais pesado dos pesos sobre teu agir! Ou então, como terias de ficar de bem contigo mesmo e com a vida, para não desejar nada mais do que essa última, eterna confirmação e chancela?”
Nietzsche
Claro que eu vou te machucar. Claro que você vai me machucar. É claro que vamos machucar uns aos outros. Mas esta é a própria condição de existência. Para se tornar primavera, significa aceitar o risco de inverno. Para tornar-se presença, significa aceitar o risco de ausência.”
O Pequeno Príncipe
Um dia eu sonhara em ir para longe daqui. Um dia eu sonhara em sair da minha cidade, da casa de meus pais, em ir fazer faculdade fora. Sonhara em morar sozinha, em ter uns vinte gatos e conversar com todos eles. Coisa de louco, mas quem se importa? Seria só eu e a solidão mesmo. Eu e minha velha amiga. Eu nunca tive medo de estar sozinha. Foram tantas as vezes em que deixei de ‘curtir a noite’ para ler um velho livro, devaneando na melancolia de meus pensamentos. Estou acostumada a assistir sozinha o temporal lá fora. É que eu não sou muito boa com pessoas. Me entendo melhor em contemplação à natureza, aos animais, ao abstrato. Muitas pessoas nunca preencheram o que faltava aqui dentro.
Até então tenho projetado meu futuro, mas, agora que você chegou, de longe eu consigo perceber que te quero nele. Não por medo da solidão, ou por carência. Como já disse, estar sozinha não me atormenta, mas estar sem você, sim. Não é qualquer pessoa, é você. É seu o privilégio de eu gostar de estar em sua companhia, considerando que sempre fujo de todos. O que eu sei é que independente do que meus planos sejam, eu quero você incluso neles. Eu posso me imaginar sujeita à ausência de qualquer pessoa, menos à sua.”
Controvérsias